Death Note – Produtor explica adaptações de anime em Hollywood e defende o filme

A indústria cinematográfica de Hollywood tende a procurar inspiração em todas as partes do mundo e em todos os tipos de arte. Da música à literatura, da fotografia à dança, nada costuma ficar muito tempo escondido de suas lentes, nem mesmo o oriente. Embora a cultura oriental seja bem diferente aos olhos do ocidente, ela possui diversas artes que são simplesmente um encanto e, entre o meio audiovisual, uma que se destaca bastante são os animes. O jeito único de contas histórias por meio de animação sempre chamou a atenção não apenas dos americanos, como também do resto do mundo, tanto que vários animes são transmitidos em países da Europa e das Américas. Sendo assim, sabemos que não é de hoje que Hollywood tem seus olhos nos animes, inclusive, já fizemos uma matéria na qual mostramos alguns animes que vão se tornar filmes americanos.

Apesar disso, foi apenas há alguns anos que os estúdios americanos começaram a adaptar alguns animes para filmes live action. E o resultado não tem sido nada satisfatório para a maioria dos fãs. O último caso a gerar controvérsia foi a adaptação do aclamado Death Note pela Netflix. Em uma recente entrevista, o produtor do filme Masi Oka (o Hiro Nakamura da série Heroes) abordou as falhas de antigas adaptação de animes e afirmou que seus problemas foram resultados de poucas consultas com as pessoas responsáveis por criarem o material original.

De acordo com ele, no passado Hollywood deve ter pensando que só porque tinha os direitos sabia exatamente o que estava fazendo. “No Japão, o mercado doméstico é grande o suficiente que eles podem sobreviver internamente. Lidar com coisas globais é um pouco tedioso: eles estão seguros em seu próprio ambiente… e eles não sabem como se comunicar com Hollywood, então é onde eu quero estar. No final do dia, eu só quero que o mundo viva em paz e harmonia”, explica Oka. E para ele, o filme de Death Note teve êxito nessa parte, ao consultar os criadores da obra original.

“Para mim, o momento decisivo deste filme foi quando fizemos uma exibição privada no Japão [para os senseis]… e realmente trouxe lágrimas aos meus olhos quando os eles ficaram bem felizes com o resultado. Me fez perceber tudo o que fiz para o filme valeu a pena. Os sorrisos dos senseis significaram muito para mim”, revela Masi Oka. Para finalizar, o produtor ainda diz eles não querem se aproveitar dos fãs, segundo ele, “queremos que os fãs saibam que este é um filme diferente, mas terá muitos aspectos do material de origem”, conclui.

Death Note está disponível na Netflix desde o dia 25 de agosto. Inclusive, a equipe da Fatos Nerd debateu o resultado da adaptação em uma live e se você perdeu, pode conferir o vídeo logo abaixo.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/zh_CN/sdk.js#xfbml=1&version=v2.10”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Death Note da Netflix

Comentamos o filme de Death Note!

Fatos Nerd 发布于 2017年8月25日

Essa matéria Death Note – Produtor explica adaptações de anime em Hollywood e defende o filme foi criada pelo site Fatos Desconhecidos. E somente copiada por esse portal.




Source: fatos

Comentários no Facebook